Vox Dei nº 425 de 13 de novembro de 2016

Há poucos meses vivenciamos as Olimpíadas e as Paralimpíadas onde os competidores, após intensivo período de treinamento, demonstraram suas performances. No caminho, inúmeros processos seletivos de aferição de índices, com superação de obstáculos físicos, logísticos, estruturais, financeiros, profissionais, e assim sucessivamente.

Há um enorme “combo” para se tornar um vencedor. Verifica-se na realidade, um conjunto de ações que vão além da capacidade física dos atletas e do treinamento constante. Há que ter a técnica profissional dos treinadores, ao lado de inteligência e estratégias.

De outro modo, verifica-se no Brasil um outro tipo de Olimpíada devido à grande quantidade de candidatos a ocupar uma vaga, tanto para o ensino quanto para o serviço público. Só que, nesse caso, uma indústria paralela vai se formando e tornando mais difícil a aprovação. Verifica-se uma desproporção entre a qualidade do ensino público e o particular que parece criar um fosso intransponível. Só que não!

Assim como aqueles atletas, a superação dos obstáculos está intimamente ligada não só à capacidade do candidato, mas ao seu empenho pessoal. Assim como no âmbito esportivo, muitos precisam superar problemas sociais graves, desassistência básica na alimentação, saúde, saneamento, emprego e ... de educação e ensino!

Assim, uma sucessão de situações vai desmotivando tantos jovens para o estudo ou para trabalho. Fraudes, corrupção, descrédito no ensino público de base e incipientes políticas públicas de educação.

Quando alguém, que se esforça tanto, não consegue alcançar seu objetivo e parte para o “lado obscuro da força”, há muito perdeu não só a motivação, mas a alma. Ela foi vendida, ou dada ao mal: a pessoa trama, urde e age com má fé, com a sanha da burla, da trapaça, do engodo e, sem estudar, frauda processos seletivos!

O número 144 mil, descrito na Bíblia, nos aponta para um outro processo seletivo que não há como trapacear. Neste, existe um padrão inicial de 12 vagas que, multiplicadas, podem chegar a números infinitos. Aqui a prova é permanente. Neste, não há concorrentes, há irmãos. Neste, torna-se necessário, também,  muito empenho pessoal pois as provas são duras, difíceis.