Como lemos no evangelho da Festa de Pentecostes, os discípulos estavam trancados, por medo dos judeus, e Jesus apareceu-lhes trazendo-lhes a Sua paz e o Seu Espírito. A presença de Jesus Ressuscitado veio confirmar, para os discípulos, que eles não estariam sós e nunca seriam abandonados por Deus. Isso indica que precisamos ter consciência de que, no nosso Batismo, nós também recebemos o Espírito Santo, por isso não podemos separar a paz de Jesus do Seu Espírito. Quem tem o Espírito Santo tem paz, porque sente o amor do Pai e do Filho. Todos nós, que temos convicção do amor de Deus, sentimos a paz em nosso coração, pois provamos da misericórdia do Pai e temos a certeza de que os nossos pecados são perdoados. Nunca precisaremos trazer a nossa alma atribulada pelos acontecimentos do mundo, se recebemos o Espírito de Jesus no nosso Batismo e com Ele também a sua paz.

A nossa carne é fraca e se ressente, porém o nosso coração está firme porque Jesus é quem nos assegura: “A paz esteja convosco”, “Recebei o Espírito Santo”. Somos enviados a levar ao mundo esta paz e o amor de Cristo que experimentamos com o poder do Seu Espírito. O Espírito Santo é quem nos envia, nos acompanha e nos motiva a seguir adiante na nossa caminhada. É Ele quem nos sustenta nas batalhas que travamos no nosso dia a dia. É também Ele quem nos tira da acomodação e nos faz enxergar as coisas do céu, que fogem à nossa visão humana.

Neste sentido, o dom do Espírito Santo foi um elemento fundamental na experiência missionária dos primeiros cristãos. Com a ascensão do Senhor, eles se viram às voltas com uma tarefa desafiadora: levar a mensagem do Evangelho a todo o mundo. A missão exigiria deles fazer o Evangelho ser entendido por pessoas das mais variadas culturas. Deveriam ser capazes de enfrentar dificuldades, perseguições e até mesmo a morte, por causa do nome de Jesus. Muitos problemas proviriam dos judeus, pois a ruptura com eles seria inevitável, dada a intransigência da liderança judaica para com a comunidade cristã que tomaria um rumo considerado inaceitável. Sem dúvida, não faltariam problemas dentro da própria comunidade, causados por partidarismos, falsas doutrinas e atitudes incompatíveis com a opção pelo Reino.

Os discípulos eram demasiado fracos para, por si mesmos, levar a cabo uma missão tão grande. Jesus, porém, concedeu-lhes o auxílio necessário ao comunicar-lhes o Espírito Santo. Fortalecidos pelo Espírito, eles não se intimidaram, antes, cumpriram, com esmero, o ministério da evangelização.

O dom de Pentecostes renova-se a cada dia na vida da Igreja. O Espírito, ontem como hoje, não permite que os cristãos cruzem os braços diante do mundo a ser evangelizado. Confiamos ao Espírito Santo a vida de nossa Paróquia e a Festividade 2016 que se inicia hoje!